Aos Finalistas Entre as memórias de um tempo que já passou, a ansiedade de viver o presente ao máximo e um futuro desconhecido, ser Finalista é um misto de emoções!

O tempo não acaba, mas tu sente-lo, a fugir por entre os dedos, pelas lágrimas puxadas a álcool e pelos fados que ouves esporadicamente. O tempo não acaba e dás por ti a pensar o que devias ter feito e não fizeste, o que devias ter dito e não disseste, o que gostavas de ter vivido e não viveste. O tempo não acaba, mas passa e empurra-te, todos os dias, para uma nova etapa da tua vida.



Tens vinte e poucos anos, uma vida inteira à tua frente e, ainda assim, pensas no tempo que passou, naquele longínquo mês de setembro em que eras uma criança, repleta de ingenuidade e vontade de começar uma vida nova. Agora, a poucos meses de outra roda-viva, pensas nos amigos que vais começar a ver com menos frequência e em toda a diversão que pensas nunca mais voltar a ter. Acreditas que vais viver tudo – a serenata, o cortejo, as noites de queima, o tempo que falta até aos últimos exames, o stress do último exame e a ansiedade da espera pela última nota – com uma intensidade quase forçada. Mas agora já não há nada a fazer. O grosso da tua vida académica já passou e dás contigo a pensar que o que conta, realmente, são todos os momentos que viveste ao longo destes anos, tão verdadeiros como inocentes, tão intensos como divertidos, tão únicos.



E foi esta vida que te moldou, que te fez uma pessoa única e te deu um carácter. Acredito que o nosso tempo de faculdade deve ser pautado pela descoberta. Descoberta do mundo e de nós próprios. Descoberta dos nossos sonhos, ambições e prioridades. É claro que a viagem não acaba por aqui e daqui a uns meses,… Daqui a uns meses vais descobrir que o tempo não volta atrás e que cada momento merece ser vivido genuinamente, por ti.



“Quero ficar sempre estudante
P’ra eternizar
A ilusão de um instante”
Amores de Estudante, Aureliano da Fonseca.